Preços de PCs aumentaram 23,5% no Brasil

O valor pago em computadores (notebooks e desktops) no Brasil aumentou 23,5% no último trimestre de 2020, na comparação com o trimestre anterior. De acordo com levantamento da IDC Brasil, os preços cobrados, em média, foram de: R$ 3.782 para desktops, e R$ 4.299 para notebooks.


No entanto, a alta nos preços não afetou as vendas de PCs. Pelo contrário, ficaram com um saldo positivo e trouxeram crescimento ao mercado.

De outubro a dezembro, foram vendidas 1,9 milhão de unidades de computadores, sendo 1,6 milhão de notebooks e cerca de 400 mil desktops. O montante de unidades vendidas é 20,6% maior em relação ao registrado para o mesmo período no ano passado.


Considerando o ano todo, o total do mercado de PCs registrou venda de 6,3 milhões de unidades, o que representa um crescimento de 6% com relação a 2019, ou o equivalente a 1,3 milhão de desktops e 5 milhões de notebooks.

A consultoria ressalta que este é o segundo ano consecutivo de crescimento no setor e a previsão para 2021 permanece positiva: aumento de 8,6%.

O valor pago em computadores (notebooks e desktops) no Brasil aumentou 23,5% no último trimestre de 2020, na comparação com o trimestre anterior. De acordo com levantamento da IDC Brasil, os preços cobrados, em média, foram de: R$ 3.782 para desktops, e R$ 4.299 para notebooks. PUBLICIDADE No entanto, a alta nos preços não afetou as vendas de PCs. Pelo contrário, ficaram com um saldo positivo e trouxeram crescimento ao mercado. De outubro a dezembro, foram vendidas 1,9 milhão de unidades de computadores, sendo 1,6 milhão de notebooks e cerca de 400 mil desktops. O montante de unidades vendidas é 20,6% maior em relação ao registrado para o mesmo período no ano passado.


Segundo a IDC, a previsão para 2021 se mantém positiva, muito por conta da alta demanda decorrente da pandemia. Considerando o ano todo, o total do mercado de PCs registrou venda de 6,3 milhões de unidades, o que representa um crescimento de 6% com relação a 2019, ou o equivalente a 1,3 milhão de desktops e 5 milhões de notebooks. A consultoria ressalta que este é o segundo ano consecutivo de crescimento no setor e a previsão para 2021 permanece positiva: aumento de 8,6%. Um dos principais motivos para a alta na demanda, de acordo com a IDC, foi a pandemia que provocou uma avalanche de colaboradores rumo ao home office. Isso fez com que muitos atualizassem seus equipamentos. “As restrições contínuas em vários níveis ajudaram os consumidores a canalizar seus orçamentos em prol de mobiliar suas casas com foco em trabalho ou entretenimento, mesmo com a baixa ocupação de escritórios inibindo os gastos com monitores comerciais”, diz a consultoria, no levantamento.

A previsão positiva de crescimento também se estende ao mercado corporativo, que deve chegar a alta de 17,3%. No último trimestre do ano, o setor registrou aumento de 10,5% na comparação com o mesmo período de 2019, o equivalente a 671.281 computadores vendidos.

A consultoria dá destaque especial para os setores de governo e educação. Esse último, por exemplo, já apresentou grande atuação em 2020, com aumento de 66% ano a ano por conta de demandas provenientes de instituições de ensino.

O varejo também teve representatividade significativa, contribuindo com a venda de 1,3 milhão de máquinas, ou um crescimento de 26,4% ano sobre ano.


Mercado global de monitores

No mundo, o mercado de monitores de PCs registrou crescimento de 16,9% ano sobre ano, e de 8,3% na comparação com 2019. As vendas do último trimestre de 2020 ultrapassaram as 39,2 milhões de unidades.

Segundo a IDC, este foi o maior crescimento já registrado em um ano inteiro, desde que a consultoria iniciou o rastreamento do mercado de monitores, em 2008.

A lista das empresas que registraram melhor desempenho durante o período é liderada pela Dell Technologies, que responde por 19,3% do market share.

O ranking é completado pela taiwanesa TPV Technology (14,1%), que tem a marca AOC como uma das subsidiárias; seguida por HP Inc. (13,5%), Lenovo (10,5%) e Samsung (8,6%).


Via: IDC, Convergência Digital

9 visualizações0 comentário